quarta-feira, 19 de março de 2014

Salário mínimo por hora no Brasil e no Canadá

Salário mínimo por hora no Brasil? Uma boa idéia?

Essa idéia de salário mínimo por hora, adotada pela América do Norte (Canadá e EUA), foi algo estranho para nós no início, e para muitos outros estrangeiros que aqui chegaram também, pelo que pude aprender em contato com outros povos acostumados com salários mensais fixos.

O canadense de modo geral, também estranha quando falamos em salários mensais, e não em salário-hora ou anual, este último uma outra forma comum de se falar em salários aqui em terras geladas, bem caracterizada por quem possuem salário ditos "fixos", ou seja com carga horário bem definida. 

Mas, hoje passado alguns invernos por aqui, posso dizer que apesar do estranhamento inicial, acho que essa prática é melhor do que o sistema de salário mínimo mensal brasileiro. O sistema norte-americano é mais justo, menos predisposto a distorções, e verdadeiramente mais combativo à exploração.  

Primeiro, porque deixa claro, bem claro, quanto é que você ganha realmente minimamente por hora de trabalho. (E isso é ótimo, para o trabalhador se valorizar.)

Segundo, porque não deixa muita margem para horas extras não pagas ou subfaturadas, a pessoa sabe bem o valor de sua hora de trabalho, então não irá trabalhar de graça ou por menos. (o certo é ter um adicional de hora-extra tanto aqui, como no Brasil)

Em um exemplo simples, se nós pegarmos o salário minímo brasileiro, atualmente R$ 724, devemos saber, que uma pessoa para ter direito a esse valor deve trabalhar 8 horas por dia e, 44 horas semanais. 
Supondo, que todos os meses são de 4 semanas perfeitas, teriamos que trabalhar:
44 horas semanais X 4 semanas = 176 horas mensais

Dividindo o salário mínimo de R$ 724, por 176 horas teriamos;
724/176 = 4.11

Chegariamos ao valor de R$ 4.11 reais a hora de trabalho, do salário mínimo brasileiro.

Quatro reais e onze centavos! É isso, mesmo, só essa merrequinha como diria um tio meu. 

Agora, chame uma pessoa para ir trabalhar para você, e ofereça à ela R$ 4,11 à hora, provavelmente você vai ouvir um sonoro não... Então, acredito que o salário mínimo hora deixa mais claro, a questão da exploração, e da pobreza.

Tente chamar um pedreiro, encanador, diárista, etc... e ofereça a eles R$ 4,11 à hora. Possivelmente vai, ficar sem ninguém, mas ofereça uma vaga de trabalho com o salário mínimo, capaz de ter fila e ainda poder se dar ao luxo de escolher quem vai ficar.

No final, as pessoas não percebem o tanto que estão sendo exploradas, e o salário mínimo mensal esconde ou mascara a realidade.

No Canadá, o salário mínimo hora é definido pela provincia, (semelhante ao Brasil, que pode ser determinado pelo Estado, com exceção das pessoas que recebem pelo INSS, que sempre serão pela determinação federal).

Porém, de um modo geral o salário mínimo hora em todo o Canadá, está próximo de $ 10 à hora, o que os especialistas falam, ser um valor de extrema pobreza. Mas, voltando ao exemplo, então se quero chamar uma diarista, ela sabe que vai ganhar no mínimo $ 30, porque mesmo que seu trabalho dure somente 30 minutos, ela tem direito a receber por 3 horas de trabalho, é lei, saiu para trabalhar, vai receber no mínimo por 3 horas.

Mas, de um modo geral, o governo incentiva as pessoas a pagarem mais, os valores mudam de região para região, mas vai de $ 12 à $20 por hora, lembrando que sempre isso vai ser multiplicado por 3. Uma outra maneira, ainda no caso das diaristas são valores fechados para uma casa ou apartamento, nesse caso o normal é $100 por residência, e aí fica a critério da diarista se vai fazer tudo a jato, e terminar em 1, 2 ou 4 horas. 

O sistema pode não ser perfeito, mas está mais transparente, e termina sendo melhor que o brasileiro.
E isso, porque nem falei de poder de compra, e diferenças salárias aqui no Canadá, (aonde o salário mais baixo de uma empresa, não é 50x diferente do mais rico, como acontece muito no Brasil). 

Fui... 

Veja também:

4 comentários:

  1. Olá!!

    Muito bom o texto!!

    A desigualdade aqui é um absurdo! Fico pensando como uma pessoa sobrevive, porque aqui se trabalha não para viver e sim sobreviver, e com muitas dívidas. Nossa compra (2pessoas) da semana é por volta de 130-180 reais e isso é o básico pão, leite, queijo e só um ou dois gostos. Imagina uma familia que ganha 810 (salário de SP). E sobra dinheiro para comprar roupa, remedio, transporte? Pq lazer esquece, né. Por termos salários tão díspares, temos um alto índice de violência, é complicado vc trabalhar e não ter dinheiro para comprar algo que vc quer, revolta-se.

    Eu ignoro quando meu marido fala " Se nos países desenvolvidos é pequena a diferença de salário entre uma profissão que não necessita de estudo e outra em que o indivíduo estudou, então, pq a pessoa vai se esforçar para estudar?" Penso que a sociedade nos países desenvolvidos não faz distinção como aqui, em que o valor de uma pessoa é medido pelo seu cargo.

    Uma sugestão: cor do texto em preto, a letra branca dificulta um pouco a leitura.

    abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No Brasil, infelizmente o povo ganha para sobreviver em vez de para "viver"...
      E para piorar, o sistema de assistência social é altamente falho.

      Excluir
  2. Mais uma vez, um artigo interessante! parabéns!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...